Onde a realidade se encontra com a ficção
 

“Querida Julieta,

Já sou casado com minha esposa, Shannon, há 30 anos.

Nunca fui para a cama ou beijei outra mulher.Apesar da velhice que se aproxima, ainda somos como jovens amantes.Roubamos beijos um do outro e nos abraçamos apaixonadamente quando não há ninguém por perto.E até mesmo perto dos outros!

Embora tenhamos uma vida modesta, sinto muito prazer em dar pequenos presentes a ela, passar tempo a seu lado em um café local ou em caminhar com ela pela praia perto da nossa casa.Mas agora que estamos envelhecendo, entristeço-me ao pensar que nunca fui capaz de lhe proporcionar mais coisas na vida, nem de levá-la a nenhum lugar exótico ou distante.Quero que o mundo inteiro saiba o quanto a amo, e quem seria melhor para me ajudar nisso do que você, Julieta? Gostaria que você escrevesse para ela, falando da minha dedicação, para que ela possa ter uma lembrança minha para passar para a minha filha.

Atenciosamente,

Benjamin K.,  East Fremantle, Austrália, 1991

 

Não é lindo? A preocupação que ele tem em deixá-la depois de partir  é amor de verdade.Ele nem percebe que ela não precisa desta carta para se lembrar dele, ele estará dentro dela pra sempre.

E como esta tem inúmeras outras. Pessoas que procuram, que já perderam e que querem voltar a ter um amor.

publicado por Dreamer às 19:16 | link do post
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
14
18
22
24
25
28
29
comentários recentes
Gostei da forma como integrou dois dos meus textos...
Ao ler este texto, bem como mais alguns que tive o...
Eu acho que se pode amar um vício, desde que ele n...
Somos dois...Deixei de acreditar...
Por acaso não acredito no "Para sempre"
Gosto de pensar que no fim tudo dá certo, que se a...
Há portas que têm mesmo de fechar, mas por vezes f...
arquivos
Posts mais comentados
2 comentários
1 comentário
1 comentário
blogs SAPO