Onde a realidade se encontra com a ficção

 


Nos últimos anos a Porto Editora aumentou o seu catálogo de obras literárias e publicou alguns fenómenos de vendas no nosso país. Entre eles destaca-se Dorothy Koomson, autora britânica que deu nas vistas com A filha da minha melhor amiga e que volta agora às livrarias portuguesas com O amor está no ar.

A sinopse desta história deixa muito a desejar, pois há muito mais do que lá se antevê. A protagonista deste romance é Ceri, uma jovem mulher que decide sair de Londres, onde nasceu e trabalha, e voltar para a cidade onde se formara, Leeds, em busca do bem-estar pessoal e da satisfação profissional. A mudança acaba por ser uma fuga à rotina, ao dia-a-dia que não a completa e aos problemas pessoais e amorosos, não só os seus, mas os de todos os que a rodeiam. É que Ceri tem algo, algo que transforma as pessoas em seu redor, fazendo-as abrir os seus corações e partilhar com ela os seus sentimentos e os seus segredos, obrigando-a a viver os dramas e os desgostos dos outros como se fossem seus. Graças a essa estranha característica, a tranquilidade tão almejada pode não passar de um sonho.

Há medida que o romance, narrado na primeira pessoa, avança, somos confrontados com a adaptação de Ceri a uma nova vida. Contudo, o seu fardo teima em manter-se, e a protagonista torna-se parte de múltiplas histórias amorosas. Diversas personagens, muito diversificadas mas invariavelmente marcadas pela espontaneidade e autenticidade, surgem ao longo de uma obra que se justifica com cada página. Ao invés de um enredo com desenvolvimento linear, preciso e, quiçá, previsível, neste livro em cada capítulo surgem novas e inesperadas situações.

Mesmo com alguns momentos comoventes, parece-me que esta é uma história divertida. Tal deve-se, sobretudo, ao modo como a protagonista interpreta o que a rodeia. Ceri é, note-se, uma personagem complexa e suficientemente forte para suportar todo o romance. Graças a ela, temos uma história diferente.

Não se trata de mais uma história de amor. É antes uma narrativa ligeira, divertida e, por acaso, romântica, uma história sobre amor, ou, melhor ainda, uma história sobre uma jovem mulher com o dom e o fardo de despertar e amplificar os sentimentos que movem os que a rodeiam. “Será ela o Cupido dos tempos modernos?”, lê-se na sinopse. A resposta é interessante, de várias perspectivas, e constitui um dos pormenores mais discutíveis na obra. No entanto, seja como for, este livro fez-me pensar nos meus objectivos pessoais e no que realmente quero, qual espelho da protagonista, e, por isso, constitui uma leitura mais do que satisfatória.

Em suma, O amor está no ar consegue um lugar especial dentro do género, ao distanciar-se da tradicional história de amor, ou mesmo da própria escrita feminina, e ao impor-se como obra cativante, multivalente e promotora da reflexão. Representa um meio-termo repleto de virtudes que merece ser lido, quanto mais não seja porque tem tudo para agradar a um público diverso.

Quanto a mim, fica a satisfação e a vontade de conhecer melhor uma autora que, até há pouco, não me havia despertado interesse. A leitura tem destas coisas…

publicado por Dreamer às 21:58 | link do post
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
15
17
18
19
20
22
25
26
27
28
29
31
comentários recentes
Gostei da forma como integrou dois dos meus textos...
Ao ler este texto, bem como mais alguns que tive o...
Eu acho que se pode amar um vício, desde que ele n...
Somos dois...Deixei de acreditar...
Por acaso não acredito no "Para sempre"
Gosto de pensar que no fim tudo dá certo, que se a...
Há portas que têm mesmo de fechar, mas por vezes f...
arquivos
Posts mais comentados
2 comentários
1 comentário
1 comentário
blogs SAPO