Onde a realidade se encontra com a ficção
publicado por Dreamer às 17:37 | link do post

 

 

 

publicado por Dreamer às 13:35 | link do post

 

Marnie Donovan é uma jovem americana que, após um passado marcado por vários abandonos, decide dar um novo sentido à vida.

E para tal, quer encontrar a casa de infância de que a misteriosa benfeitora tanto lhe falara e assim honrar a sua memória.

Isobel Grant é uma mulher divertida e a perfeita anfitriã. Mas enquanto tenta manter as aparências de uma vida familiar idílica, enfrenta o maior desafio da sua vida, que coloca em causa o próprio casamento.

No decorrer do curso, Louisa e Marnie sentem uma crescente atração pelo enigmático Christopher Piper e, em pouco tempo, vão ser forçadas a encarar os seus medos mais recônditos e as escolhas que fizeram.
publicado por Dreamer às 15:32 | link do post

O local não poderia ser mais inspirador e a verdade é que neste território intimo que Mel,Daisy e Cleo encontram, para além de estética e relaxamento, um porto de abrigoque, enquanto mulheres, lhes permite dedicaram-se apenas a elas mesmas fugindo das suas rotinas e vidas que acabam por complicar-se bastante com o decorrer da narrativa.


Melé a minha personagem favorita devido a sua coragem para fazer escolhas e ultrapassar, embora cansada, de cabeça erguida os seus tormentos como mãe e trabalhadora a tempo inteiro. Se tivesse de escolher um interveniente masculino o seu esposo, Adrian, seria o meu eleito, juntos fazem um casal magnífico.

Cleo, a jovem da nossa história, é cheia de personalidade e de garra característicos da sua idade. Recém-formada, ela irá vê cair por terra os planos que tinha traçado para a sua vida quando os pais a excluem do negócio de família, perdendo assim um apoio que sempre julgou como certo. Muitas jovens poderão identificar-se com os seus dilemas desta fase complicada que implica encontrar o seu papel social.

E por ultimo Daisy que devido ao seu drama poderá ser aquela com que mais de nós acabaram por se identificar. Com problemas de auto-estima ela faz muitas asneiras, é a que mais necessita de apoio e na qual se espelha uma faceta tremendamente humana cometendo muitos dos erros que, também nós, tendemos a fazer quando nos encontramos deprimidos.


A par com as personagens principais, também os intervenientes secundários são dignos de nota e enriquecem sem dúvida a leitura. As suas histórias são vividas com igual intensidade servindo para expor ainda mais questões nas quais nos revemos.

O enredo é excelente, também graças à quantidade de vidas que a autora consegue conjugar e interligar com uma sintonia perfeitamuito próxima do que real que, sem que nos sintamos perdidos, nos envolve com facilidade conseguindo criar um laço imediato, estreito, entre o leitor e todo o universo ficcional que Cathy criou.

No que respeita ao cenário da história Carrickwell é o local perfeito. Uma cidade pequena onde tudo se sabe e tudo pode acontecer mas que, ainda assim, permite aprivacidade suficiente para que as personagens se descubram apenas no momento certo.

Esta é uma narrativa praticamente dedicada, na sua totalidade, à mulher e isso é evidente, todo o tipo de relações podem aqui ser encontrados, divórcios, namoros longos, ausência de relações bem como, todo o tipo de problemas emotivos com os quais nos podemos deparar. É mais ou menos como abrir um livro sobre a mulher em que, em algum momento, encontramos algo com que nos reconhecemos.

Pessoalmente, deixando as questões mais evidentes para vossa própria descoberta, eu gostei das mensagens contidas nas entrelinhas que cada personagem transmitiu. Coragem,ousadia, ambição, amor, amizade, esperança, entre muitos outros mantras, estão embutidos nesta bonita história que, e embora não me tenha feito chorar, tocou o meu coração e fez-me sorrir ao imaginar o que eu teria feito, ou poderei vir a fazer, em determinados momentos da minha vida.

publicado por Dreamer às 19:24 | link do post
 

“Querida Julieta,

Já sou casado com minha esposa, Shannon, há 30 anos.

Nunca fui para a cama ou beijei outra mulher.Apesar da velhice que se aproxima, ainda somos como jovens amantes.Roubamos beijos um do outro e nos abraçamos apaixonadamente quando não há ninguém por perto.E até mesmo perto dos outros!

Embora tenhamos uma vida modesta, sinto muito prazer em dar pequenos presentes a ela, passar tempo a seu lado em um café local ou em caminhar com ela pela praia perto da nossa casa.Mas agora que estamos envelhecendo, entristeço-me ao pensar que nunca fui capaz de lhe proporcionar mais coisas na vida, nem de levá-la a nenhum lugar exótico ou distante.Quero que o mundo inteiro saiba o quanto a amo, e quem seria melhor para me ajudar nisso do que você, Julieta? Gostaria que você escrevesse para ela, falando da minha dedicação, para que ela possa ter uma lembrança minha para passar para a minha filha.

Atenciosamente,

Benjamin K.,  East Fremantle, Austrália, 1991

 

Não é lindo? A preocupação que ele tem em deixá-la depois de partir  é amor de verdade.Ele nem percebe que ela não precisa desta carta para se lembrar dele, ele estará dentro dela pra sempre.

E como esta tem inúmeras outras. Pessoas que procuram, que já perderam e que querem voltar a ter um amor.

publicado por Dreamer às 19:16 | link do post
publicado por Dreamer às 20:09 | link do post
publicado por Dreamer às 19:14 | link do post
publicado por Dreamer às 20:08 | link do post

 

 

 

publicado por Dreamer às 20:06 | link do post
publicado por Dreamer às 19:11 | link do post
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
14
18
22
24
25
28
29
comentários recentes
Gostei da forma como integrou dois dos meus textos...
Ao ler este texto, bem como mais alguns que tive o...
Eu acho que se pode amar um vício, desde que ele n...
Somos dois...Deixei de acreditar...
Por acaso não acredito no "Para sempre"
Gosto de pensar que no fim tudo dá certo, que se a...
Há portas que têm mesmo de fechar, mas por vezes f...
arquivos
Posts mais comentados
2 comentários
1 comentário
1 comentário
subscrever feeds
SAPO Blogs