Onde a realidade se encontra com a ficção
Um coração dividido entre dois mundos.Numa pacata vila de pescadores da Nova Inglaterra, Charlie St. Cloud cuida de um antigo cemitério onde o seu irmão mais jovem, Sam, está enterrado. Após sobreviver ao acidente de carro que tirou a vida de seu irmão, Charlie recebe um dom extraordinário: ele consegue ver, conversar e até mesmo brincar com o espírito de Sam. É neste mundo místico que entra Tess Carroll, uma cativante mulher treinando para navegar sozinha ao redor do mundo num veleiro. O destino faz com que seu barco seja apanhado por uma violenta tempestade, trazendo-a assim para a vida de Charlie. A sua bela e incomum ligação os leva a uma corrida contra o tempo e a uma escolha entre a vida e a morte, entre o passado e o futuro, entre apegar-se ou deixar o passado para trás – e a descoberta que milagres podem acontecer se nós simplesmente abrirmos nossos corações.
 
O autor escreve tudo com tantos detalhes e a forma com que ele escreve, principalmente o prólogo e o epílogo, faz o leitor refletir e perceber que esta é a realidade e, sem dúvidas, o autor acaba por nos ensinar muitas lições. Acabei percebendo que mesmo tentando lidar com o sentimento de perda muitas vezes só acabamos piorando as coisas. E acho que este é o ponto forte do livro. O autor não fala o que é certo e o que é errado até porque cada pessoa lida com a morte de maneiras diferentes, mas faz-nos entender o que isto significa, mostra as consequências e tudo mais. E é exactamente sobre isso que o livro fala. A vida de Charlie St. Cloud gira em torno do seu irmão morto Sam e ele perde tantos anos por causa disso.
Não vou contar muito sobre o que acontece porque este é o tipo de livro que é bom para se surpreender. Os personagens são tão reais e é impossível não se familiarizar e sofrer juntamente com eles. O sentimento de irmandade entre o Charlie e o Sam é tão bonito mas ao mesmo tempo é o motivo que rouba tantos anos da vida de Charlie. E depois tem o amor de Charlie por Tess e a decisão sobre quem deve escolher.
Leiam sem ter visto o filme. Leiam devagar, sentindo a vida de Charlie juntamente com os seus problemas. É uma linda história que com certeza vale a pena ser lida.
publicado por Dreamer às 19:00 | link do post
publicado por Dreamer às 18:50 | link do post
 
Um homem de sorte é mais um romance incrível do Nicholas Sparks. Gosto do estilo de escrita do Nicholas e, apesar das cenas tristes, aprecio a narrativa dele assim como sua criatividade. Então, é claro que estava ansioso para ler esse livro. E, apesar de não ser o meu preferido deste autor, com certeza vale a pena ler.
Tenho que admitir que demorei mais do que esperava. Talvez pelo facto de o início ser lento demais, e meio enrolado. E, por ter três ponto de vista – Beth, Thibault e Clayton – achei que ficou confuso no começo. Mas isso era de se esperar até porque eu tinha acabado de conhecer os personagens.
Acredito que a escolha de vários pontos de vista foi bem adequada para este romance. Mesmo sem ter tantos personagens, sem o ponto de vista dos três principais seria difícil fazer as conexões de familiaridade e tudo mais. É clássico do Nicholas esconder factos no começo, mas com o desenrolar da história, alguns segredos e informações importantes para a compreensão vão sendo revelados aos poucos. Acho que isso é o que mais gosto nos livros do Nicholas. Ele sabe dosar as informações reveladas.
Porém, apesar de a narrativa ter fluido depois de alguns capítulos, ainda não fiquei muito convencido da história. O Keith Clayton que é o vilão da , foi o único personagem que desde o início me convenceu. A personalidade dele não muda ao decorrer dos capítulos. Já a Beth... foi uma tristeza. Mesmo sendo uma personagem adulta, Beth não tem uma personalidade marcante, única. Ela varia de humor muito rapidamente e em alguns momentos se mostrou a típica personagem afectada e impulsiva. Por outro lado, Logan Thibault  era o rapaz inteligente mas que se fechava demais para os outros. É justamente por ele ter essa personalidade que os segredos continuam até perto do final e que fazem da história o que ela é, mas, na minha opinião, não acho que concordo com as atitudes dele.
Não senti que ficou faltando alguma coisa, só sei que o desenrolar não foi o que eu esperava.
publicado por Dreamer às 13:54 | link do post
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
14
18
22
24
25
28
29
comentários recentes
Gostei da forma como integrou dois dos meus textos...
Ao ler este texto, bem como mais alguns que tive o...
Eu acho que se pode amar um vício, desde que ele n...
Somos dois...Deixei de acreditar...
Por acaso não acredito no "Para sempre"
Gosto de pensar que no fim tudo dá certo, que se a...
Há portas que têm mesmo de fechar, mas por vezes f...
arquivos
Posts mais comentados
2 comentários
1 comentário
1 comentário
subscrever feeds
SAPO Blogs